Ministros do Trabalho e Emprego dos Estados do G20 visitam thyssenkrupp em Andernach – Oliver Burkhard, CHRO do Grupo, fornece informações sobre o sistema dual de formação profissional e o programa de refugiados “we.help”

Maio, 2017 – A thyssenkrupp recebeu hoje (19 de maio) importantes visitantes: os ministros do Trabalho e Emprego dos Estados do G20 estiveram na fábrica da empresa em Andernach, maior planta de produção de aço para embalagens do mundo, onde foram informados, em especial, sobre o sistema dual de formação profissional da Alemanha. A convite da ministra do Trabalho alemã, Andrea Nahles, os ministros do G20 se reuniram em Bad Neuenahr para uma conferência de dois dias antes da reunião de cúpula do G20, que será realizada em Hamburgo nos dias 7 e 8 de julho. Os resultados da conferência internacional dos ministros do Trabalho de países como EUA, Rússia, China, Índia e Brasil serão discutidos pelos chefes de Estado e de Governo dos 20 mais importantes países industriais e emergentes durante a Cúpula de Hamburgo. Um tema-chave será a situação internacional dos refugiados. Assim, durante a sua visita a Andernach, os ministros também obtiveram informações sobre o programa “we.help” da thyssenkrupp, que é um exemplo das atividades desenvolvidas pela indústria alemã para integrar os refugiados.

A formação profissional tem sido um foco crescente do G20 e dos seus ministros do Trabalho e Emprego nos últimos anos, e o sistema dual de formação profissional da Alemanha é visto como um modelo internacional. “Há uma boa razão pela qual o sistema dual de formação profissional da Alemanha conquistou uma boa reputação em todo o mundo”, disse Andrea Nahles durante a reunião. “Ele oferece aos jovens o início ideal para a sua vida profissional, combinando a teoria à prática. Isso é particularmente importante dada a crescente procura por trabalhadores qualificados e a necessidade de dar oportunidades aos refugiados no mercado de trabalho”, acrescentou Nahles. “Estou muito contente por ter a oportunidade de mostrar aos meus colegas ministros do G20 como isso funciona bem aqui na thyssenkrupp Rasselstein”.

Com base nesse modelo, a thyssenkrupp já propiciou formação profissional a milhares de jovens ao longo dos anos, e o conceito também está sendo transferido para um número crescente de unidades da empresa em outros países. “Seja em funções administrativas ou técnicas, o sistema dual de formação profissional é um excelente trampolim de carreira”, destacou Oliver Burkhard, CHRO da thyssenkrupp AG. “Esta é certamente uma das razões para os excelentes níveis de aprendizagem alcançados nesse sistema e o baixo nível de desemprego entre os jovens comparado a padrões internacionais. Na thyssenkrupp estamos transferindo tanto quanto possível esse modelo alemão bem-sucedido para nossas instalações de treinamento em todo o mundo, dando uma contribuição importante para o treinamento e a educação sustentáveis em nossas unidades”, acrescentou.

thyssenkrupp forma 3.100 jovens em 50 profissões em toda a Alemanha

Os ministros visitaram a thyssenkrupp Rasselstein GmbH e conversaram com aprendizes desta que é a única fábrica de folha de flandres da Alemanha. Um grupo de 160 jovens está atualmente participando de um treinamento de aprendizes em Andernach. A divisão de aço da thyssenkrupp tem quase 1.300 aprendizes. Nas operações alemãs da thyssenkrupp, mais de 3.100 jovens estão sendo preparados para suas futuras carreiras em mais de 50 profissões – desde mecânicos industriais até engenheiros mecatrônicos. Eles são apoiados por 139 instrutores em tempo integral em 30 centros de treinamento de aprendizes e 51 escolas técnicas.

Mais de 150 vagas de aprendizes e 230 estágios para os refugiados

Durante a sua visita à thyssenkrupp Rasselstein GmbH, um dos três maiores produtores de folha de flandres da Europa, os ministros do G20 também se encontraram com refugiados que estão recebendo treinamento para aprendizes em Andernach. Em setembro de 2016, a thyssenkrupp e o comitê de trabalhadores da empresa lançaram um programa de refugiados sob o nome de “we.help”, no âmbito da iniciativa de integração “Wir zusammen” (nós juntos) da indústria alemã. Por meio desse programa, a thyssenkrupp proporcionará 150 vagas de aprendizes e 230 estágios adicionais até ao final de 2017.

Como parte do “we.help”, já foram assinados mais de 200 contratos com refugiados, incluindo cerca de 40 contratos para aprendizes. Quase todos os refugiados que começaram seus estágios na thyssenkrupp asseguraram seus lugares completando um estágio e um treinamento introdutório. Essa situação se reflete na thyssenkrupp Rasselstein GmbH, onde 15 jovens da Síria, da Eritreia, do Afeganistão e da Guiné estão participando de treinamentos para aprendizes ou de formação introdutória. Além disso, há 30 estágios para refugiados. No total, a divisão de aço da thyssenkrupp criou 100 vagas adicionais para aprendizes e outras 40 posições de treinamento. “O princípio do programa ‘we.help’ funciona. Por isso, estamos confiantes de que alcançaremos o nosso objetivo de 150 contratos adicionais de trabalho com aprendizes até ao final de 2017. O acesso ao mercado de trabalho é extremamente importante para quem quer ficar permanentemente na Alemanha”, enfatizou Oliver Burkhard durante o evento em Andernach. “O sucesso do programa é devido, em particular, aos grandes esforços dos instrutores e mentores que integram nosso time de colaboradores.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »