Capitão Vilfredo Schurmann, líder da Família Schurmann, é o mais novo Embaixador na luta por mais saneamento básico aos brasileiros

Abril, 2017 – O cenário do saneamento básico no Brasil é muito preocupante; em 2015, cerca de 34 milhões de brasileiras não têm acesso à água tratada e metade do país não tem coleta de esgotos. Somente 42% dos esgotos gerados são tratados e isso explica a péssima qualidade da água da maior parte de nossos rios, reservatórios, baías.

Preocupado com a situação e sabedor de que os recursos hídricos do planeta precisam ser protegidos, o Capitão Vilfredo passa a ser mais uma voz na luta para que mais brasileiros tenham acesso à água, à coleta e ao tratamento dos esgotos.

capitao7 ok
Vilfredo Schurmann, líder da Família Schurmann, na luta pela água potável. Foto: Divulgação

Schurmann  passa a fazer parte do quadro de Embaixadores do Instituto Trata Brasil, ao lado de importantes nomes, como os campeões olímpicos Lars Grael, Daiane dos Santos e Flávio Canto, o desenhista Mauricio de Sousa, além de renomados médicos, promotores, professores universitários, jornalistas, promotores públicos e outros formadores de opinião em meio ambiente e saúde pública.

Liderando a Família Schurmann, Vilfredo já visitou todos os mares do mundo ao lado da esposa Heloisa, dos filhos Pierre, David, Wilhelm e Kat e, recentemente, do neto Emmanuel. Dos mais de 30 anos de aventuras pelo mundo vem a certeza que não pode haver desenvolvimento sem sustentabilidade social, econômica e ambiental. “Durante a Expedição Oriente, concluída em dezembro, navegamos o equivalente a quase 50 mil quilômetros. Passamos por quatro oceanos e ficamos impressionados como os mares estão poluídos!”, conta Vilfredo.

O capítão acrescenta: “água potável é um bem muito precioso. Mas, infelizmente, muitas pessoas só dão a devida importância quando se deparam com indícios de escassez.  Na ilha de Gona Bara Bara, um lugar paradisíaco de apenas 59 habitantes vimos, mais uma vez, o quão essencial é a água. Quando passamos por lá, não chovia há meses e o estoque de água potável estava acabando.Com nosso dessalinizador, produzimos água limpa a noite inteira para ajudar nossos novos amigos”.

De volta ao Brasil e às navegações pela costa brasileira, Vilfredo manifestou sua preocupação com a poluição da Baía de Guanabara: “Nosso litoral é muito bonito e a Baía de Guanabara, por exemplo, é um dos mais belos cenários do mundo. Mas tem um elemento que não combina com essa paisagem: poluição. Não podemos deixar que nossos recursos e belezas naturais sejam exterminadas pela falta de cuidados”.

Uma das consequências mais visíveis da falta de saneamento básico em um país é a má qualidade de suas praias, que acabam sofrendo diariamente com o despejo de esgotos. Relatório do Instituto Trata Brasil, de 2014, mostra que o país deixa de criar, por ano, mais de 500 mil postos de trabalho no turismo devido à falta de saneamento (hotéis, pousadas, restaurantes, agências de turismo, empresas de transporte de passageiros e etc.) e que, em média, mais de 400 mil pessoas são internadas por diarreia, parte decorrente da falta de saneamento básico para todos.

Vilfredo Schurmann e o Instituto Trata Brasil estão estudando iniciativas conjuntas para motivar as autoridades a investir mais em saneamento, especialmente olhando a proteção dos rios e do oceano.

Fonte: Ascom/Instituto Trata Brasil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »