As estruturas de suporte financeiro às exportações de serviços foi um dos temas discutidos durante o ENAServ 2017

Participantes destacam importância do setor para a economia

São Paulo, 19 de abril de 2017 – O secretário de Comércio e Serviços do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio Exterior (MDIC), Marcelo Maia, em seu pronunciamento durante o ENAServ 2017 apresentou o Siscoserv – sistema informatizado, desenvolvido para o aprimoramento das ações de estímulo, formulação, acompanhamento e aferição das políticas públicas relacionadas a serviços e intangíveis bem como para a orientação de estratégias empresariais de comércio exterior de serviços e intangíveis. Na ocasião destacou a importância de se ter informação sobre o comércio exterior de serviços para o subsídio das negociações internacionais, bem como para a calibragem das políticas públicas para contribuir para a alavancagem do setor.

Logo em seguida, José Augusto de Castro, presidente da AEB, Leonardo Pereira Rodrigues dos Santos, superintendente do BNDES, Guilherme Laux, subsecretário de crédito e garantia às exportações da secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda (MF), e Jorge Arbache, secretario de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), discutiram as estruturas de suporte financeiro às exportações de serviços.

Laux abordou a necessidade da análise de riscos de cada país para o qual o Brasil exporta serviços. Ele destacou que a União está atuando em parceria com o mercado para garantir que os exportadores realizem seus negócios de maneira sustentável. Ele elencou também algumas das exigências do MF para a exportação de serviços.

Arbache citou o relatório do FMI sobre a importância das exportações de serviços para a economia de um país. Segundo ele, o relatório mostra a relação entre o PIB e o desempenho das exportações de serviços. O documento aponta também que países com taxas elevadas de exportações de serviços tendem a ter uma maior inclusão social e um número maior de mulheres trabalhando nesse setor.

O relatório diz ainda que países fortes na exportação de serviços tendem a diversificar melhor sua economia. “O Brasil tem que buscar caminhos sólidos de investimentos e atração de investimentos na exportação de serviços”, disse Arbache.

O secretário do MP destacou ainda que, até 2025, 75% de tudo que é exportado no mundo será representado por serviços. “O Brasil ainda não consegue mostrar todo o seu potencial exportador em várias áreas que são importantes. Para termos uma participação mais sólida nesse cenário precisamos diminuir a desproporcionalidade entre a exportação de serviços e o tamanho do país”, frisou.

O ENAServ 2017 tem como tema “Exportar serviços para ampliar fronteiras”. O evento aborda estruturas de suporte financeiro, desafios e oportunidades para a exportação de serviços, assim como a internacionalização de empresas do setor.

Fonte: Ascom/AEB

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »